QUANTIFICAÇÃO DE AÇÚCARES E AUXINA E DESENVOLVIMENTO INICIAL DE MINI-TOLETES DE CANA-DE-AÇÚCAR

  • Bruno Teixeira de Sousa Universidade Estadual de Londrina
  • Valdir Zucareli Universidade Estadual de Maringá
  • Andréia Paula Carneiro Martins Universidade Estadual de Maringá
Palavras-chave: dominância apical, hormônio vegetal, propagação, Saccharum spp.

Resumo

Carboidratos de reserva e o hormônio vegetal auxina presentes no colmo estão envolvidos no desenvolvimento da planta de cana-de-açúcar. Objetivou-se quantificar o teor de açúcares e auxina no desenvolvimento inicial de colmos e gemas caulinares de cana-de-açúcar, em função do diâmetro e região do colmo. O trabalho foi realizado em esquema fatorial 3x3 (diâmetro x região do colmo), com 4 repetições. Foram utilizados colmos de plantas com 11 meses de idade, classificados em três diâmetros (fino < 2 cm; médio 2-3 cm; grosso > 3 cm) e divididos em três regiões (ápice, meio e base). Os dados foram submetidos à análise de variância, e quando significativo as médias foram comparadas pelo teste Tukey a 5% de probabilidade. Nas variáveis bioquímicas (auxinas e açúcares) houve maior interferência do fator diâmetro. Já nas variáveis biométricas (comprimento e massa seca de parte aérea e raízes, brotação e índice de velocidade de brotação), de maneira geral, a maior influência foi do fator região. O diâmetro do caule interferiu no teor de auxina endógeno de colmos e gemas. O crescimento de raiz mostrou-se relacionado à concentração de auxina endógena e a maior porcentagem de brotação foi obtida a partir da região apical, estando relacionada ao teor de açúcares redutores disponível. A utilização de mini-toletes para propagação da cana-de-açúcar mostrou-se viável.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-06-03
Como Citar
Teixeira de Sousa, B., Zucareli, V., & Carneiro Martins, A. P. (2020). QUANTIFICAÇÃO DE AÇÚCARES E AUXINA E DESENVOLVIMENTO INICIAL DE MINI-TOLETES DE CANA-DE-AÇÚCAR. Colloquium Agrariae. ISSN: 1809-8215, 16(3), 94-103. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ca/article/view/3130