QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE CRAMBE TRATADAS COM ZINCO E MOLIBDÊNIO

  • Hugo Tiago Ribeiro Amaro UNIMONTES
  • Andréia Márcia Santos de Souza David UNIMONTES
  • Miquéias de Oliveira Assis UNIMONTES
  • Josiane Cantuária Figueiredo UNIMONTES
  • Lucas Vinícius de Souza Cangussú UNIMONTES
  • Marina Borges de Oliveira Silva UNIMONTES
Palavras-chave: Crambe abyssinica Hochst, micronutrientes, vigor

Resumo

Objetivou-se avaliar a qualidade fisiológica de sementes de crambe tratadas com fertilizante a base de zinco e molibdênio. O experimento foi conduzido no Laboratório de Análise de Sementes da Unimontes. O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado, com quatro repetições. Os tratamentos testados constituíram de cinco doses de fertilizante comercial composto por zinco (35%) e molibdênio (3,5%), aplicados via semente nas concentrações de 0; 3,3; 6,7; 10 e 13 mL do fertilizante para 0,5 Kg-1 de sementes. A qualidade fisiológica das sementes foi avaliada por meio dos seguintes testes: germinação, primeira contagem de germinação, emergência de plântulas e comprimento de plântulas. Com o aumento das doses do fertilizante comercial composto por zinco e molibdênio, houve redução na germinação e vigor das sementes de crambe. A qualidade fisiológica das sementes de crambe é influenciada negativamente por doses crescentes de molibdênio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Josiane Cantuária Figueiredo, UNIMONTES
Ciências Agrárias

Referências

ABDALLA, S. R. S.; PROCHNOW, L. I.; FANCELLI, A. L. Simpósio discute como utilizar insumos e recursos para otimizar a produtividade do milho. Piracicaba: International Plant Nutrition Institute – Brasil, 2008. (Informações Agronômicas, 122).

ALBUQUERQUE, K.A.D.; SILVA, P.A.; OLIVEIRA, J.A.; FILHO, J.L.S.C.; BOTELHO, J.E. Desenvolvimento de mudas de alface a partir de sementes armazenadas e enriquecidas com micronutrientes e reguladores de crescimento. Bioscience Journal, v. 25, p.56-65, 2009.

BARBOSA, R. M.; SILVA, C. B. DA; MEDEIROS, M. A. DE; CENTURION, M. A. P. DA C.; VIEIRA, R. D. Condutividade elétrica em função do teor de água inicial de sementes de amendoim. Revista Ciência Rural, v.42, p.45-51, 2012. https://doi.org/10.1590/S0103-84782012000100008

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Brasília: SNAD/DNDV/CLAV, 2009, 395p.

COIMBRA, R.A.; MARTINS, C.C.; TOMAZ, C.A.; NAKAGAWA, J. Testes de vigor utilizados na avaliação da qualidade fisiológica de lotes de sementes de milho-doce (sh2). Ciência Rural, v.39, n.9, p.2402-2408, 2009. https://doi.org/10.1590/S0103-84782009000900004

COLODETTI, T. V.; MARTINS, L. D.; RODRIGUES, W. N.; BRINATE, S. V. B.; TOMAZ, M. A. Crambe: Aspectos Gerais da Produção Agrícola. Revista Enciclopédia Biosfera, v. 8, p. 258-269, 2012.

EPSTEIN, E.; BLOOM, A. J. Mineral nutrition of plants: principles and perspectives. 2. ed. Sunderland: Sinauer Associates, 2004. 400p.

FAVARIN, J.L.; MARINI, J.P. Importância dos micronutrientes para a produção de grãos. In: Sociedade Nacional da Agricultura, 2000.

FERREIRA, L.A.; OLIVEIRA, J.A.; VON PINHO, É.V.R.; QUEIROZ, D.L. 2007. Bioestimulante e fertilizante associados ao tratamento de sementes de milho. Revista Brasileira de Sementes, v.29, p.80-89, 2007. https://doi.org/10.1590/S0101-31222007000200011

GONÇALVES, J.R.A.C.; PESSOA, A.C.S. Fitodisponibilidade de cádmio, chumbo e cromo, em soja cultivada em Argissolo Vermelho eutroférrico a partir de adubos comerciais. Revista Scientia Agraria, v.3, p.19-23, 2002. https://doi.org/10.5380/rsa.v3i1.1026

LUCHESE, A. V.; GONALVES JUNIOR, A. C.; LUCHESE, E. B.; BRACCINI, M. C. L. Emergência e absorção de cobre por plantas de milho (Zea mays) em resposta ao tratamento de sementes com cobre. Revista Ciência Rural, v.34, p.1949-1952, 2004. https://doi.org/10.1590/S0103-84782004000600044

MENDEL, R. R.; SCHWARZ, G. Molybdoenzymes and molybdenum cofactor in plants. Critical Review in Plant Science, v.18, p.33–69, 1999.

MERLOT, S.; GIRAUDAT, J. Genetic analysis of abscisic acid signal transduction. Plant Physiol, v.114, p.751-757, 1997. https://doi.org/10.1104/pp.114.3.751

PEREIRA, F.R.S.; BRACHTVOGEL, E. L.; SIMÉRIO, C. S. C.; BICULDO, S.J.; MACHADO, C.G.; PEREIRA, J.C. Qualidade fisiológica de sementes de milho tratadas com molibdênio. Revista brasileira de Sementes, v.34, n.3, p. 450-456, 2012. https://doi.org/10.1590/S0101-31222012000300012

PITOL, C.; BROCHI, D. L.; ROSCOE, R. Tecnologia e produção: crambe 2010. Maracajú: FUNDAÇÃO MS, 2010b. p. 60.

PESSOA, A. C. S.; LUCHESE, E. B.; LUCHESE, A. V. Germinação e desenvolvimento inicial de plantas de milho, em resposta ao tratamento de sementes com boro. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v.24, n.4, p.939-945, 2000. https://doi.org/10.1590/S0100-06832000000400025

RAVEN, P.H. Biologia vegetal. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007. 830p.

RIBEIRO, N.D.; SANTOS, O.S.; MENEZES, N.L. Tratamento de sementes de milho com fontes de zinco e boro. Revista Brasileira de Sementes, v.16, p.116-120, 1994. https://doi.org/10.17801/0101-3122/rbs.v16n2p116-120

RIBEIRO, N.D.; SANTOS, O.S. Aproveitamento do zinco aplicado na semente na nutrição da planta. Ciência Rural , v.26, p.159-165, 1996. https://doi.org/10.1590/S0103-84781996000100030

ROSOLEM, C.A. Stimulate em tratamento de sementes de feijão. Botucatu: UNESP, 1997. 5p. (Relatório Técnico)

SOUZA, A. D. V.; FÁVARO, S. P., ÍTAVO, L. C.; ROSCOE, R. Caracterização química de sementes e tortas de pinhão-manso, nabo-forrageiro e crambe. Pesquisa Agropecuaria Brasileira, v.44, p.1328-1335, 2009. https://doi.org/10.1590/S0100-204X2009001000017

Publicado
2019-04-24
Como Citar
Ribeiro Amaro, H., Santos de Souza David, A., Assis, M., Figueiredo, J., de Souza Cangussú, L., & de Oliveira Silva, M. (2019). QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE CRAMBE TRATADAS COM ZINCO E MOLIBDÊNIO. Colloquium Agrariae. ISSN: 1809-8215, 15(2), 133-139. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ca/article/view/2581