SIMULAÇÃO DE DESFOLHAS EM DIFERENTES ESTÁDIOS VEGETATIVO NA CULTURA DA SOJA

  • Murilo Alberto Santos INSTITUTO FEDERAL GOIANO - CAMPUS MORRINHOS
  • Emerson Trogello INSTITUTO FEDERAL GOIANO - CAMPUS MORRINHOS
  • Dheynne Alves Vieira INSTITUTO FEDERAL GOIANO - CAMPUS RIO VERDE
  • Rhayf Eduardo Rodrigues INSTITUTO FEDERAL GOIANO - CAMPUS MORRINHOS
  • Ana Carolina Lima Ribeiro INSTITUTO FEDERAL GOIANO - CAMPUS MORRINHOS
  • Alcir José Modolo UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
  • Murilo Mesquita Baesso UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
Palavras-chave: Glycine max, manejo integrado de pragas, produtividade,

Resumo

A cultura da soja, durante todo seu ciclo, está susceptível ao ataque de insetos-pragas que podem reduzir sua produtividade final. Objetivou-se com este trabalho avaliar o efeito de desfolhas artificiais em diferentes estádios vegetativos na cultura da soja. O experimento foi implantado na área experimental do Instituto Federal Goiano – Campus Morrinhos e conduzido em delineamento com blocos ao acaso, com oito tratamentos e quatro repetições. A cultivar BRS Valiosa RR foi submetida aos seguintes tratamentos: T0: sem desfolha; T1: remoção de um folíolo por trifólio em V2 até V8; T2 remoção de um folíolo por trifólio em V3 até V8; e assim sucessivamente até chegar ao último tratamento T7: remoção de um folíolo por trifólio em V8. As variáveis analisadas foram: altura de plantas, inserção de 1º vagem, índice de clorofila, número de ramos, número de vagens, número de grãos por vagem, peso de mil grãos e produtividade final da cultura. Os dados foram submetidos à análise de variância pelo teste de Scott-Knott a 5% de probabilidade, por meio do software ASSISTAT. Conclui-se que desfolhas contínuas em nível de 33% nos estádios iniciais da cultura reduz o porte da planta, o número de vagens por planta e a produtividade final na cultura da soja.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Murilo Alberto Santos, INSTITUTO FEDERAL GOIANO - CAMPUS MORRINHOS
Engenheiro agrônomo com experiencia em grandes culturas (soja e milho) e culturas de indústria (tomate e milho-doce). Atualmente mestrando em Olericultura pelo IF GOIANO - Campus Morrinhos.
Emerson Trogello, INSTITUTO FEDERAL GOIANO - CAMPUS MORRINHOS
Possui graduação em Agronomia pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (2009) e mestrado por mesma instituição acadêmica (2012). Doutor em Fitotecnia pelo Programa de Pós-Graduação em Fitotecnia da Universidade Federal de Viçosa (2014). Atualmente é professor do Instituto Federal Goiano - Campus Morrinhos, ministrando disciplinas nas áreas de grandes culturas e plantas daninhas para nível médio, superior. Também se faz componente do corpo docente do mestrado profissional em Olericultura do IFGoiano Campus Morrinhos onde atua na orientação de discentes do programa, bem como na docencia em relação as disciplinas de Biologia e manejo de plantas daninhas e Sistema de plantio direto na olericultura. Vem trabalhando junto ao instituto em parcerias com empresas publicas e privadas (Embrapa arroz e feijão, Caraiba Sementes, Nortox, Inquima, etc. Tem experiência na área de técnicas culturais da cultura do milho, soja e feijão, integração lavoura-pecuária, mecanização agricola, semeadura direta, qualidade de semeadura, sistema de plantio direto e manejo de cobertura. Atua na verticalização do ensino, ministrando disciplinas no nivel tecnico, graduação e pós-graduação.
Dheynne Alves Vieira, INSTITUTO FEDERAL GOIANO - CAMPUS RIO VERDE
Possui graduação em Agronomia pelo Instituto Federal Goiano - Campus Morrinhos (2016), curso técnico profissionalizante em Meio Ambiente (2014) pela mesma instituição. Atualmente é mestrando do programa de pós-graduação em Zootecnia do Instituto Federal Goiano - Campus Rio Verde.
Rhayf Eduardo Rodrigues, INSTITUTO FEDERAL GOIANO - CAMPUS MORRINHOS
Possui graduação em Bacharelado em Agronomia pelo Instituto Federal Goiano-Campus Morrinhos (2017) onde participou do Programa Institucional Voluntário de Iniciação Científica (Pivic) no período de 2015/2 a 2016/1 e do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic) no ano de 2016/2.
Ana Carolina Lima Ribeiro, INSTITUTO FEDERAL GOIANO - CAMPUS MORRINHOS
Possui curso técnico profissionalizante em Alimentos pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano (2013), graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Goiás - Campus Morrinhos (2016) e Mestrado em andamento em Olericultura pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano.
Alcir José Modolo, UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
Possui graduação em Engenharia Agrícola pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (2000), mestrado em Engenharia Agrícola pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (2003) e doutorado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (2006). É professor do curso de Agronomia da Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR desde 2006, ministrando a disciplina de Mecanização Agrícola. Desde 2008, atua como professor no Programa de Pós-Graduação em Agronomia - PPGAG, onde ministra a disciplina Relação Máquina-solo-planta e Tecnologia de Aplicação de Defensivos Agrícolas. No período de 2009 a 2011 foi coordenador substituto do Programa de Pós-Graduação em Agronomia - PPGAG. No período de maio de 2011 a janeiro de 2013 exerci a função de assessor de Pesquisa e Pós-Graduação Stricto Sensu do Câmpus Pato Branco da UTFPR. Tem experiência na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em Otimização e Seleção do Uso de Máquinas, desenvolvendo pesquisas nos seguintes temas: desempenho de semeadoras-adubadoras e relação máquina-solo-planta.
Murilo Mesquita Baesso, UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal Rural da Amazônia (2001), mestrado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (2005) e doutorado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (2009). Foi Professor Substituto de mecânica e mecanização agrícola na Universidade Federal de Viçosa e Professor Adjunto I, do Departemento de Engenharia da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Atualmente é Professor Livre Docente da Universidade de São Paulo (USP), Campus de Pirassununga. Tem experiência na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em mecânica e mecanização agrícola, analise de imagens e aplicação de fitossanitários, atuando principalmente nos seguintes temas: tecnologia de aplicação de fitossanitários, maquinas agrícolas, deficiência nutricional de nitrogênio, agricultura de precisão, forragicultura, ergonomia e sensoriamento remoto.
Publicado
2018-07-10
Como Citar
Santos, M. A., Trogello, E., Vieira, D. A., Rodrigues, R. E., Ribeiro, A. C. L., Modolo, A. J., & Baesso, M. M. (2018). SIMULAÇÃO DE DESFOLHAS EM DIFERENTES ESTÁDIOS VEGETATIVO NA CULTURA DA SOJA. Colloquium Agrariae. ISSN: 1809-8215, 14(2), 191-197. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ca/article/view/2137