TEOR DE MACRO E MICRONUTRIENTES E POTENCIAL FISIOLÓGICO DE SEMENTES EM GENÓTIPOS CRIOULO E MELHORADO DE FEIJÃO

  • Carla Xavier Alves FAEM/UFPel PPGCTS
  • Gilberto Antonio Peripolli Bevilaqua Pesquisador Embrapa Clima Temperado
  • Luis Osmar Braga Schuch Prof. Dr. FAEM/UFPel. PPGCTS
  • Irajá Ferreira Antunes Pesquisador Embrapa Clima Temperado
  • Paulo Eduardo Rocha Eberhardt UFPel/FAEM. PPGCTS
Palavras-chave: Phaseolus vulgaris, interação genótipo x ambiente, vigor de sementes, composição química, correlação.

Resumo

O feijão é cultivado principalmente por agricultores familiares, que geralmente utilizam sementes de anos anteriores, selecionadas pelos próprios agricultores, caracterizando-as como sementes crioulas, apresentando alto potencial para o uso direto pelos agricultores e utilização em programas de melhoramento. O trabalho teve o objetivo de avaliar a qualidade fisiológica e o teor de nutrientes em sementes de cultivares crioulas e melhoradas por seleção participativa, e a influência do teor desses nutrientes no potencial fisiológico das sementes. Foram utilizadas sementes provenientes dos ensaios de avaliação de cultivares conduzidos em São Luiz Gonzaga e Sobradinho, RS, da safra 2012. Foram avaliadas nas sementes os teores de: fósforo, cálcio, potássio, ferro, magnésio, zinco e manganês nas sementes. Também foram avaliados a qualidade fisiológica por meio de: germinação, envelhecimento acelerado, teste de frio, condutividade elétrica e comprimento de raiz e parte aérea nas plântulas. Concluiu-se que as sementes das cultivares crioulas e melhoradas por seleção participativa apresentam elevado potencial fisiológico. Os genótipos AM-10, AS-7, Preto Ibérico TB 02-21 e ZL-1 destacaram-se pelo maior potencial fisiológico das sementes. Existe interação entre genótipo e ambiente para teor de nutrientes nas sementes. O teor de nutrientes exerce influência na qualidade das sementes, principalmente fósforo, cálcio, ferro e manganês.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Xavier Alves, FAEM/UFPel PPGCTS
Possui curso-tecnico-profissionalizante pelo Conjunto Agrotécnico "Visconde da Graça" (1997) e graduação no curso de Agronomia pela Faculdade de Agronomia Eiseu Maciel( FAEM), na Universidade Federal de Pelotas (2009). Mestre em Ciência e Tecnologia de Sementes nesta mesma Universidade e atualmente realiza doutorado nessa mesma área
Gilberto Antonio Peripolli Bevilaqua, Pesquisador Embrapa Clima Temperado
possui graduação em Agromomia pela Universidade Federal de Santa Maria (1986), mestrado em Ciência e Tecnologia de Sementes pela Universidade Federal de Pelotas (1993) e doutorado em Ciência e Tecnologia de Sementes pela Universidade Federal de Pelotas (1996). Atualmente é pesquisador A da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Produção e Beneficiamento de Sementes, atuando principalmente nos seguintes temas: Produção de sementes agroecológicas, sementes crioulas, recursos genéticos, feijão-miúdo, feijão, plantas medicinais e capacitação
Luis Osmar Braga Schuch, Prof. Dr. FAEM/UFPel. PPGCTS
possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Pelotas (1976), mestrado em Fitotecnia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1981) e doutorado em Agronomia pela Universidade Federal de Pelotas (1999). Atualmente é Professor Titular da Universidade Federal de Pelotas. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Fisiologia e Manejo de Plantas de Lavoura, atuando principalmente nos seguintes temas: qualidade fisiológica de sementes, vigor, desempenho de plantas e de comunidades, culturas anuais.
Irajá Ferreira Antunes, Pesquisador Embrapa Clima Temperado
Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Pelotas (1969), Bacharelado em Direito pela Universidade Federal de Pelotas (2001), mestrado em Agronomy - University of Illinois (1978) e doutorado em Agronomia, àrea de concentração em Genética e Melhoramento de Plantas, pela Universidade de São Paulo - ESALQ (1992). Atualmente é pesquisador III da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Foi membro representante da comunidade científica junto à Comissão Técnica Nacional de Biossegurança-CTNBio, de 2003 a 2005. Cidadão honorário do município de Sobradinho, RS, por relevantes serviços prestados ao município na condução de trabalhos de pesquisa com feijão; concedido em 2015. Campos de pesquisa atuais compreendem o melhoramento genético, a caracterização agronômica, nutricional, funcional e usos do germoplasma crioulo (sementes crioulas), resistência a estresses bióticos e abióticos e melhoramento participativo do feijão ( Phaseolus vulgaris L.) e identificação, caracterização e organização de guardiões de sementes.
Paulo Eduardo Rocha Eberhardt, UFPel/FAEM. PPGCTS
Possui graduação em agronomia pela Universidade Federal de Pelotas (2011) e mestrado em Ciência e Tecnologia de Sementes pela Universidade Federal de Pelotas (2015). Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Agronomia, atuando principalmente nos seguintes temas: semente, feijão, vigor, genótipos e vigna.
Publicado
2018-05-09
Como Citar
Alves, C., Peripolli Bevilaqua, G., Braga Schuch, L., Ferreira Antunes, I., & Eberhardt, P. (2018). TEOR DE MACRO E MICRONUTRIENTES E POTENCIAL FISIOLÓGICO DE SEMENTES EM GENÓTIPOS CRIOULO E MELHORADO DE FEIJÃO. Colloquium Agrariae. ISSN: 1809-8215, 14(1), 79-91. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ca/article/view/1802